Igreja Presbiteriana Independente de Vila Carrão
 Home   Institucional   Atividades   Reflexões   Estudos   Aniversários   Infantil   Fotos   Links
 


Amor de Pai

 

Uma história verídica, recebida de Londres.

O pastor de uma determinada igreja subiu ao púlpito e, antes de pregar sua mensagem no culto da noite, fez uma apresentação ligeira de um outro ministro que os visitava.

Contou à congregação que tratava-se de um dos seus amigos mais queridos desde a sua infância. E desejava que ele dirigisse à igreja uma palavrinha, algo que estivesse em seu coração...

Foi assim que um homem, já idoso, levantou-se e começou a falar. Iniciou contando que, certa vez, um pai, seu filho, e um amigo do filho decidiram fazer um passeio de barco na costa do Oceano Pacífico. De repente, uma tempestade fortíssima bloqueou-lhes a possibilidade de voltarem à terra firme. As ondas eram tão altas, que mesmo o pai, um marinheiro experiente, não conseguia manter o barco "em pé", de modo que este emborcou, e os três foram lançados ao mar.

Nesse ponto da história, o senhor fez uma pausa, olhando para dois adolescentes que começavam a mostrar algum interesse pelo que ele dizia (desde o início do culto, eles se mostravam totalmente desinteressados).

Então continuou, dizendo que o pai conseguiu apanhar uma corda, enquanto permanecia agarrado ao barco. E ali, naquela hora, teve que tomar a decisão mais difícil da sua vida: a qual dos dois rapazes deveria jogar a outra ponta da corda?

Tinha poucos segundos para decidir, mas, sabendo que o seu filho era um seguidor do Senhor Jesus, e o amigo dele não, em grande agonia, gritou:
- Filho, eu te amo!!!

E jogou a corda na direção do amigo dele. Enquanto salvava o rapaz, seu filho foi tragado pelas águas bravias do Pacífico, para não mais ser encontrado.

A essa altura, os dois adolescentes estavam prestando muita atenção ao que aquele senhor dizia.

O pai sabia que o seu filho entraria na eternidade com Jesus. Ele não podia nem pensar em deixar o amigo de seu filho perecer sem conhecer o Salvador!!!

E foi por isso que se dispôs a sacrificar seu próprio filho, para salvar o amigo dele.

- Quão maravilhoso é o amor de Deus! Ele fez a mesma coisa por nós! Nosso pai Celestial sacrificou o Seu Único Filho, a fim de que nós pudéssemos ser salvos. Por isso, eu quero incentivá-los a receber Sua oferta de salvação.

Ele está jogando a corda da salvação até vocês neste culto - disse o pregador.

Tendo dito isso, o velhinho se sentou. Um grande silêncio tomou conta da igreja.

Após o culto, os dois adolescentes foram falar com ele. Sem ser indelicado, um deles disse:
- Foi boa aquela história que o senhor contou. Todavia, não acho que o pai tenha sido realista. Sacrificou a vida do seu filho baseado em mera esperança de que seu amigo viesse a se tornar um cristão!? - disse o adolescente.

- E é aí mesmo que está a chave da questão - respondeu o velhinho, enquanto olhava para sua Bíblia, já bastante surrada e gasta. Levantando os olhos, e com um grande sorriso na face, disse:
- De fato, não parece muito lógico, não é verdade? Mas essa história me faz entender um pouquinho o que deve ter significado para o nosso Pai Celestial o fato de dar o Seu Único Filho por amor a mim.

Sabe, nessa história que contei, o pai era eu, e o pastor desta igreja o amigo do meu filho...

 

Colaboração: Luciana Pereira de Souza Buono